Crianças, Cuidados, Educação, Saúde

As crianças geralmente são os espelhos dos pais. São pessoas em quem as crianças confiam, por isso acabarão por absorver a maior parte do que é dito ao seu redor, por isso é importante ter cuidado com o que diz na frente das crianças. Você deve ter ouvido que crianças repetindo o que os pais dizem pode causar constrangimento, certo?

Os adultos devem ter cuidado com o que falam ao redor de qualquer criança, porque eles têm uma forte influência, que pode afetá-las mais profundamente do que você pensa. De um modo geral, eles são a primeira referência das crianças. Portanto, as crianças irão imitar algumas de suas características, como falar, andar e até mesmo alguns hábitos são normais, por isso é importante que as crianças mantenham hábitos saudáveis ​​e benéficos e dêem um bom exemplo.

Então, quando estamos perto de nossos filhos, devemos pensar duas vezes antes de falar em grupos? A resposta é simples: sim. Precisamos ter em mente os valores que queremos transmitir e encontrar uma forma adequada de transmiti-los, para que, no futuro, quando as crianças forem adolescentes e futuros adultos, com certeza colham bons resultados.

As crianças são como esponjas: absorvem tudo ao seu redor. Portanto, usar palavrões ou expressar preconceito, falar de política indevidamente, xingar ou tirar sarro de alguém podem facilmente fazer parte do vocabulário de uma criança. Por ponto de vista psicológico, é difícil fazer esquecer o que ela ouviu.

Em muitos casos, as crianças só precisam ouvir as palavras uma vez, podendo manter isso em mente e repeti-las indefinidamente em várias situações, causando momentos constrangedores.

Outra coisa desnecessária é criticar a criança na frente de outras pessoas que a observam. Por exemplo: é tolice dizer que a criança faz xixi na cama ou que tem um desempenho ruim na escola. Normalmente, esses comentários são seguidos de outras coisas depreciativas, que afetam a psicologia das crianças e minam sua confiança e auto-estima. Não transforme a crítica à atitude de seu filho em uma situação pública.

A TV

A maioria das crianças passa muito tempo em frente à TV, assistindo a filmes, desenhos animados e inúmeros programas. Não nos oporemos ao uso da televisão no dia a dia das crianças, porque reconhecemos que isso faz parte do momento de descanso e entretenimento, que também é importante para as crianças pequenas. No entanto, os pais precisam entender o que seus filhos estão consumindo.

É inegável que a televisão pode ser uma fonte de conhecimento e aprendizagem – incluindo coisas boas e inadequadas. A linguagem das novelas, filmes fora da faixa etária correta, por exemplo, podem usar palavras e ideias desnecessárias (ou incorretas) para sua idade para incutir o vocabulário e as ideias de seus filhos. A publicidade infantil também é um perigo persistente na televisão porque afeta a alimentação infantil e o consumismo. Para eles, é difícil distinguir entre fantasia e realidade apresentada na televisão, por isso todo cuidado e controle são necessários.

De acordo com a American Academy of Pediatrics (AAP), a exposição excessiva a programação inadequada durante a infância e adolescência pode levar a comportamento violento, baixo desempenho acadêmico, baixa autoestima, obesidade e até mesmo ao uso de drogas.

Você evoluindo com as Crianças

Ser pai também é um processo de aprendizagem e evolução. Como espelho, os pais, é extremamente importante para o progresso de um indivíduo. Por meio de bons hábitos e doutrinas, boas lições serão ensinadas às crianças e cultivarão cada vez mais cidadãos conscientes e humanos. Estão demonstrando através desse ato que se importam com o desenvolvimento e o psicológico dos filhos.

Nem sempre é possível manter os filhos afastados de linguagem imprópria ou pensamentos impróprios, mas se os pais forem um bom espelho e mantiverem uma ligação consistente com os filhos, poderão estabelecer um diálogo sobre os motivos da inadequação das coisas. Bons hábitos, bons modelos, controle de comportamento e cumplicidade, todos esses projetos se inter-relacionam e formam uma rede, e se bem administrados, contribuirão positivamente para o crescimento e evolução de qualquer criança.

www.mundotaci.com.br

0

Alimentação, Crianças, Cuidados, Educação, Gestação, Saúde

Como ajudar seu filho a desenvolver bons hábitos alimentares? Você sabia que a dieta afeta o desenvolvimento de seu filho ou reflete o comportamento social de seu filho? Além de uma dieta balanceada, a forma como as crianças recebem os alimentos determina muitos de seus hábitos à mesa no futuro. É muito importante alimentação enquanto grávidas e como a casa e a escola as orientam para começar a comer durante os primeiros anos de vida. 

A relação com a comida é emocional, mas também uma forma de carinho e conforto. O ritual da refeição é muito importante para a criança estabelecer uma relação saudável com a alimentação. 

Dicas práticas para a alimentação do seu filho

Escolha o método que o deixa mais confortável. Seja o método tradicional, começando pela papinha, ou BLW, dando fragmentos à criança e dando mais autonomia na hora de introduzi-los, ambos podem respeitar e proporcionar uma experiência positiva para os bebês. Deixe a criança cheirar a comida e sentir a textura da comida.

Após o preparo, a criança também precisa mastigar alimentos mais duros, como migalhas de pão. Eles são importantes para preparar as gengivas e os músculos responsáveis ​​por uma boa mastigação e fala. A maneira de determinar se o desenvolvimento muscular de uma criança é bom não é um método, mas a mastigação. Começando com a comida favorita da mãe, está provado que as papilas gustativas se desenvolvem no útero, e a criança pode aceitar melhor os sabores aos quais foi exposta durante a gravidez. 

Dicas práticas para a alimentação do seu filho. Para entender as preferências de seu filho, forneça de 10 a 12 alimentos em preparações diferentes. “No início, a criança pode rejeitar um alimento por não lhe ser familiar, ou pode não gostar da textura, mas aceitará em outra receita. Estabeleça um modelo positivo de comportamento. Os adultos precisam ser modelos de comportamento durante as refeições.

Mesmo que o cuidador não coma um prato inteiro enquanto a criança está comendo, é importante sentar na frente da criança, segurar um prato com o mesmo alimento, mesmo que o número seja pequeno, e demonstrar interesse em prová-lo. Respeite a fome e o tempo da criança. Se a criança demonstrar que não quer comer nesse horário, evite colocar a colher na boca e sirva o mesmo prato e a mesma comida depois. Essa é uma forma de mostrar respeito e compreensão pelas necessidades da criança. 

Faça combinados. Quando você descobrir que certos alimentos foram rejeitados, faça os preparativos: vocês tentam juntos e seu filho pode recusar depois. Fale sobre sabor, cheiro e textura. Quando a criança não gosta dê uma sugestão diferente na próxima vez que tenta, é importantes respeitar.

www.mundotaci.com.br

0

Crianças, Cuidados, Saúde

A exposição ao sol, de maneira correta, é bastante benéfica para uma criança. Os raios solares estimulam a produção de vitamina D e, consequentemente, auxiliam no crescimento dos ossos, no aumento da absorção de fósforo e cálcio, no fortalecimento da imunidade e até mesmo no desenvolvimento cognitivo.

Mas atenção, mamãe! Alguns cuidados precisam ser tomados na hora de expor o seu pequeno ao sol, principalmente nesta época do ano. Fique de olho no seguinte: 

+ No caso de bebês:

Hidratação: Mantenha o bebê sempre hidratado, com água ou leite materno;

Horário: Deixe-o exposto ao sol por no máximo 10 minutos. Os horários mais adequados para a exposição são antes das 9h e depois das 17h;

Proteção: Proteja a cabeça e o rosto, evite roupas pesadas e utilize protetor solar se houver recomendação do pediatra;

Pele: Fique sempre atenta ao aparecimento de vermelhidão ou brotoejas, a pele do bebê é bastante sensível.


+ No caso de crianças pequenas: 

Hidratação: Mantenha a criança sempre hidratada, ofereça água, suco natural ou água de coco;

Horário: Os horários mais adequados para a exposição são antes das 9h e depois das 17h;

Proteção: Utilize sempre roupas de algodão e passe a cada 2 horas um protetor solar adequado para a pele infantil;

Pele: Fique sempre atenta ao aparecimento de vermelhidão ou brotoejas, algumas crianças possuem a pele bastante sensível aos raios solares.


De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, a exposição excessiva da criança ao sol pode causar, futuramente, o envelhecimento precoce, câncer de pele e até mesmo catarata.

Mas não precisa ter medo. O sol, de forma adequada, é extremamente recomendado para o desenvolvimento saudável do seu filho. Basta tomar os cuidados necessários. Caso você perceba alguma alteração na pele do pequeno, ou se tiver alguma dúvida sobre o assunto, procure o auxílio de um pediatra. 

0

Crianças, Cuidados, Educação, Imunização, Saúde
 
Muitas mamães têm dúvidas sobre as vacinas que os bebês precisam tomar. É normal! Um bebê requer muitos cuidados e a vacinação é um dos principais.

O calendário de vacinação do bebê inclui as vacinas que o pequeno precisa tomar desde que nasce até os 4 anos. O recém-nascido ainda não possui o sistema de defesa forte o suficiente para combater infecções, por isso as vacinas são tão importantes nessa fase. Elas terão um papel fundamental na estimulação das defesas do organismo.

As vacinas podem ser administradas na maternidade, em postos de saúde ou em clínicas particulares. São essas daqui:

Ao nascer: BCG e vacina de hepatite B;


2 meses: Vacina Pentavalente, VIP, VORH e vacina pneumocócica 10;


3 meses: Vacina meningocócica C;


4 meses: Vacina pentavalente, VIP, VORH e Vacina pneumocócica 10;


5 meses: Vacina meningocócica C;


6 meses: Vacina pentavalente e VIP;


9 meses: Vacina de febre amarela;


12 meses: Tríplice viral, vacina pneumocócica 10 e Vacina meningocócica C;


15 meses: VOP, vacina de hepatite A, tríplice bacteriana e tetra viral;


4 anos: Tríplice bacteriana, VOP e vacina varicela.


Fique atenta ao calendário de vacinas, mamãe! Assim, seu bebê vai crescer lindo e saudável. Para maiores informações, acesse o site oficial do ministério da saúde: http://bit.ly/calendarioministeriodasaude


 
0